Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Golfe e Personalidade

por mascatinha, em 01.05.05
C.Z.jpg
Existe uma classificação muito genérica e simplista, mas interessante, que classifica as pessoas em quatro “tipos psicológicos”: colérico, sanguíneo, melancólico, e fleumático. O colérico costuma ser uma pessoa activa, dinâmica, líder, o sanguíneo é muito animado, sociável e dotado de grande energia, o melancólico é identificado como uma pessoa mais tímida e estável, enquanto o fleumático é extremamente calmo, paciente e muito confiável.
No golfe valem coisas como planeamento, motivação, espírito de equipa, tácticas de confronto, preparação pessoal, comunicação, auto–controlo, superação de adversidades, entre outras qualidades humanas.
Analisando a nossa personalidade, conseguimos identificar o nosso desporto mais adequado. Preferimos a criatividade do futebol, o planeamento do golfe, o risco do automobilismo, a determinação da natação ou o charme do pólo?
A maioria das pessoas, identifica em si a determinação, qualidade indispensável aos nadadores, que dedicam horas e horas a um treino monótono, passado a maior parte do tempo com a cabeça dentro da água, contando azulejos e braçadas. E, consegue reconhecer a importância da determinação, da persistência, da perseguição dos objectivos, que são qualidades dos verdadeiros empreendedores.
O golfe é um desporto em que não consegue começar mal e terminar bem. Tem que se colocar a bola em 18 buracos, e dispõe, para isso, de um determinado número de tacadas, de acordo com o seu handicap. 72 tacadas, é o par do campo, regra geral. Isso significa uma média de quatro tacadas por buraco. E se eu gastar cinco logo no primeiro? Ora, a consequência é que noutro eu tenho que colocar em apenas três. Portanto é melhor gastar menos tacadas logo no princípio, para ficar com margem para o final, quando o grau de dificuldade é maior. Esta lógica interessante, parece a da vida quotidiana e profissional.
Cada buraco tem que ser analisado. Qual o taco? Madeira ou ferro? Como é que está o vento? Mudou do buraco anterior para este? Possivelmente sim, porque a mudança da topografia provoca alteração nos ventos. E a relva? Foi aparada desde o último jogo. E como é que foi passada a máquina? De cima para baixo, ou de baixo para cima? É claro que isso interessa. Afinal como é que está a pontinha de cada folha de grama?
O golfe não admite improvisos. Exige planeamento. Jamais vence o pior. É o melhor em treino e em planeamento que leva vantagem. Termina bem quem começa bem. Quem começa mal, termina mal, necessariamente.
Mas não é assim que a maioria das pessoas conduz a sua própria vida, com um mínimo de planeamento? Vamos acrescentar algo do golfe, às nossas vidas. Exercitar cada vez mais todos os sentidos. Ouvir o passado. Sentir o presente. Olhar para o futuro. Expressar os sentimentos. Ser feliz. Treinar para ser melhor.

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

De Mascate a 03.05.2005 às 19:07

É verdade que podemos sempre recuperar, mas quem começou bem, se não tiver os seus percalços, estará sempre melhor do que quem começou mal. Nesta vida de planeamento, também devemos contar com a nossa equipe, as opiniões do nosso “Bagger Vance”, podem-nos levar a errar menos, logo a começar melhor. A preparação de cada jogo, deve ser cuidada, o Buraco nº 1 deve ser alvo de atenções especiais, pois é dai que parte a confiança do jogador para os 17 Buracos seguintes. Mas depois não podemos relaxar, temos que estar sempre prontos e conscientes de que cada tacada conta e de que cada vez que temos uma falha, se pretendermos atingir os objectivos propostos, então temos que fazer sempre uma tacada ou mais tacadas de recuperação.

De Amaral a 03.05.2005 às 11:36

Bravo, mascatinha! Gostei muito desta tua explanação e das comparações das técnicas desportivas com a vida real. É claro que quem começa mal, pode, evidentemente, recuperar um pouquinho, mais à frente, não é verdade? Porque senão, uma falha inicial seria a morte do artista, e o golfe não quererá isso, neh?...
Acho que quem gosta de golfe, gosta de ser feliz! Embora, todo esse planeamento, para o "homem espiritual" não seja muito necessário! Mas a vida é também a procura do bem-estar pessoal e do bem-estar do próximo!
Viva o golfe!!!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D